Durante sessão de homenagem, Carlos Silva fala dos desafios da igreja e da importância de pessoas nos poderes para defesa de suas ideologias

No último 18 de junho, a Câmara Municipal de Araguaína realizou uma sessão solene em comemoração ao Dia do Pastor.

Na oportunidade participaram da sessão, vários pastores, pastoras e apóstolos de diferentes ministérios que atuam na cidade, do qual todos receberam certificados das Moções de Aplausos pelos significativos trabalhos prestados à sociedade.

Dia do Pastor Evangélico é celebrado anualmente no segundo domingo do mês de junho.

Esta data é uma homenagem aos líderes religiosos das igrejas cristãs protestantes, responsáveis por ajudar a guiar os fiéis através dos ensinamentos da bíblia cristã, de acordo com os princípios da doutrina protestante.

Carlos Silva

Durante a fala do vereador Carlos Silva (PSDC), sua homenagem destacou a importância do trabalho social realizado por estes líderes evangélicos e, ao mesmo tempo falou dos desafios da igreja, que enfrenta temas importantes do qual afrontam seus princípios, tais como a ideologia de gênero.

“A igreja precisará de muita sabedoria para lidar com determinados temas da atualidade e, precisará também de instrumentos (pessoas) nos poderes legislativo, executivo e judiciário, para defender sua ideologia”, diz Carlos Silva.

Confira no vídeo trecho do discurso do parlamentar:

Presenças dos líderes evangélicos na sessão:

Pastor Emerson Viana – Igreja Batista Filadélfia;

Pastor Euvaldo Nascimento – Igreja Cristã das Nações;

Pastor Fabricio Martins – Igreja Nova Chance;

Pastora Ana Paula Galvão – Igreja El Shaddai;

Apóstolo Agenor Farias – Comunidade Vida Abundante;

Pastor Marlecio Franskoviak – Igreja Presbiteriana Renovada;

Pastor Clodoaldo Pereira M. Santana – Igreja Quadrangular;

Pastor Geraldo Mangela – Assembleia de Deus CADETINS;

Pastor Jonas Nascimento – Igreja COMADESMA;

Pastor Jerbson Kennedy Carvalho Pinto – Assembleia de Deus Missão Renovo;

Pastor Amilson Freitas Lopes – Igreja Ágape;

Pastor Kleber Nunes da Silva – Igreja Batista;

Pastor Júlio Procópio – Igreja Templo da Vitória;

Pastor Fábio Rezende – Igreja da Paz, que neste ato representou o Pastor Davi Neri.

A sessão atendeu a um requerimento do vereador Wagner Enoque (PRB)

Origem do Dia do Pastor

Em 05 de maio de 1955 foi publicado, em O Jornal Batista, um artigo falando sobre o Dia do Pastor. O pedido que se fazia era de uma oferta especial para a Caixa de Socorros para ajudar os pastores aposentados com pequena aposentadoria e outros que nem aposentaria tinham, na Junta de Beneficência. Constando a ineficácia do trabalho, sugeriram que se mudasse o nome “Dia da Junta de Beneficência” para “Dia do Pastor”, visto que tudo girava em torno dos chamados para a obra do Ministério da Palavra de Deus. Como o mês de maio era dedicado às mães, sugeriram que se transferisse o Dia do Pastor para o 2º domingo de Junho e este, então, seria o mês do Pastor.

A ideia foi aceita e, desde então, começaram a promover o Dia do Pastor no 2º domingo de Junho com os seguintes objetivos: Levantar uma oferta generosa para a Caixa de Socorros a fim de que a Junta pudesse ajudar mais e melhor os pastores aposentados de parcos recursos; comemorar o Dia do Pastor em cada Igreja Batista, homenageando o pastor local e os pastores que haviam pastoreado a mesma Igreja; e proporcionar, através de tais comemorações, o despertamento de jovens chamados por Jesus para a obra do Ministério.

Comentários

Acesso em 18/10/2019 11:11.
Link: http://portalgilbertosilva.com.br/noticias/atividade-parlamentar/durante-sessao-de-homenagem-carlos-silva-fala-dos-desafios-da-igreja-e-da-importancia-de-pessoas-nos-poderes-na-defesa-de-suas-ideologias/.