Terciliano Gomes requer que a prefeitura contrate interpretes de libras, para compor o quadro de funcionários das repartições públicas

Foi aprovado durante o mês de novembro na casa de Leis de Araguaína, um requerimento de autoria do vereador Terciliano Gomes (SD), que solicita do poder executivo municipal, a contratação de interpretes de libras para compor o quadro de funcionários das repartições públicas, como por exemplos; às secretarias, unidades básicas de saúde e outros.

É evidente e necessário o atendimento de tal requerimento, pois a comunidade surda do nosso município tem encontrado dificuldades no que tange a acessibilidade para os mesmos. Ocorre que as repartições municipais, não contam com a disposição de interpretes de libras, para tornar possível o diálogo da comunidade surda com os servidores de tais entidades, o que praticamente impossibilita o devido atendimento.

“Como vereador desta casa, que tem lutado veementemente pela devida acessibilidade para a comunidade surda, tive a alegria de ter sido atendido através de requerimento que inclui a vaga de interprete de libras no concurso da Câmara Municipal de Araguaína, ocorrido em 2016 e, hoje conta com o devido atendimento”, explana o parlamentar.

A proposição pretende promover a cidadania surda, a integração entre surdos e ouvintes nas repartições e, principalmente, garantir o acesso a serviços prestados pelo Poder Público.

O parlamentar considera que o trabalho do intérprete, neste contexto, será um elo para a promoção da democracia e da inclusão social.

Sobre a LÍBRAS

LÍBRAS, a Língua Brasileira de Sinais, mais conhecida como a língua de sinais, é uma forma de comunicação e expressão oriunda de comunidades de pessoas surdas do Brasil a partir de um sistema linguístico de natureza visual-motora com estrutura gramatical própria. A LÍBRAS é reconhecida como língua oficial brasileira pela Lei nº 10.436 de 2002, a qual determina que deve ser garantido, por parte do poder público em geral e empresas concessionárias de serviços públicos, formas institucionalizadas de apoiar o uso e difusão da língua como meio de comunicação objetiva.

Além da LÍBRAS e da Língua Internacional de Sinais, há línguas de sinais em diversos países do mundo, institucionalizadas por lei ou não. O reconhecimento do status linguístico das línguas de sinais é recente. A UNESCO, em 1984, declarou que “a língua de sinais deveria ser reconhecida como um sistema linguístico legítimo”. E a Federação Mundial do Surdo, em 1987, instituiu sua primeira Resolução sobre Língua de Sinais, dando fim a uma tradição oralista. Também em 1987, o Encontro Global de Especialistas realizado pela ONU recomendou, em seu relatório final, que pessoas surdas ou com grave impedimento auditivo devem ser reconhecidas como uma minoria linguística, com o direito específico de ter a sua língua de sinais nativa aceita como sua primeira língua oficial e como o meio de comunicação e instrução, tendo serviços de intérpretes.

 

Comentários