GS NOTÍCIAS – Portal Gilberto Silva
Brasil

Cunha quis intimidar Temer, diz Moro

O juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato, criticou, em decisão desta sexta (10), a tentativa do ex-deputado Eduardo Cunha de “constranger e intimidar” o presidente Michel Temer (PMDB) para forçá-lo a agir em seu favor.

Segundo ele, houve uma “reprovável de tentativa de intimidação da Presidência da República”, que demonstra que o ex-parlamentar “prossegue com o mesmo modus operandi de extorsão, ameaça e intimidações”.

Moro fez referência a perguntas encaminhadas por Cunha a Temer, convocado como testemunha de defesa do ex-deputado, no final do ano passado.

O juiz indeferiu parte delas, por entender que não tinham relação com o fato sob julgamento. As questões falavam sobre doações oficiais e em caixa dois, reuniões do peemedebista com fornecedores da Petrobras e a relação com José Yunes, um dos melhores amigos do atual presidente.

“[As perguntas] tinham, em cognição sumária, por motivo óbvio constranger o Exmo. Sr. Presidente da República e provavelmente buscavam com isso provocar alguma espécie intervenção indevida da parte dele em favor do preso”, afirmou Moro, na decisão desta sexta (10).

“Não se pode permitir que o processo judicial seja utilizado para essa finalidade, ou seja, para que parte transmita ameaças, recados ou chantagens a autoridades ou a testemunhas”, disse o magistrado.

A decisão negou o pedido de liberdade feito pela defesa de Cunha, que argumentava que a ação a que ele responde já chega ao fim e que não havia mais motivos para o peemedebista permanecer preso.

ARTIGO À FOLHA

Moro ainda comentou, no despacho, o artigo que Cunha escreveu à Folha de S.Paulo, em que o acusa de mantê-lo preso “como um troféu” e afirma ser “retaliado” pelo magistrado.

Para o juiz, é preciso “despersonalizar o debate”. Moro diz que não tem qualquer questão pessoal contra Cunha, e destaca que um processo “é produto de várias mãos”.

“Esclareça-se, desnecessariamente, que a manutenção da preventiva não é ‘retaliação’ ao acusado, mas mero cumprimento da lei”, afirmou.

A defesa de Cunha informou que irá recorrer da decisão no TRF (Tribunal Regional Federal).

Postagens relacionadas

Senado marca para terça-feira votação da PEC do adiamento das eleições

Gilberto Silva

Câmeras registram momento de acidente entre carro, ônibus e caminhão

Gilberto Silva

Renato Duque diz que Lula conhecia e comandava propinas repassadas ao PT

Gilberto Silva

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia Mais

Política de Privacidade e Cookies