GS NOTÍCIAS – Portal Gilberto Silva
Brasil

Repercutiu: mulher xinga dono de loja de açaí de “macaco preto”; vídeo viralizaou

Caso aconteceu em loja de venda de açaí em Taguatinga, no Distrito Federal, na última segunda-feira (9). Imagens foram gravadas pelo dono do estabelecimento.

 

esmo com as constantes mobilizações e leis para combater o preconceito, atos de discriminação ainda são comuns no Brasil, infelizmente. A pena para os crimes de injúria racial e racismo podem chegar a até 3 anos de prisão e pagamento de multa.

Uma mulher xingou com ofensas racistas o empresário de uma loja de açaí, em Taguatinga, no Distrito Federal, na última segunda-feira (9). Paulo Vitor Silva Figueiredo, de 22 anos, gravou as falas da cliente e se recusou a preparar o pedido. Ela queria que o açaí ─ já misturado com xarope de guaraná e banana ─ fosse vendido sem banana.

 

No vídeo, após ser informada que não seria possível retirar a banana da receita, a mulher dispara as falas preconceituosas: “macaco preto, idiota, palhaço, ridículo, ET, inútil, pateta”. Depois dos xingamentos, ela ainda ordena o rapaz a preparar o açaí, pois estava “na cidade dela”.

Segundo o dono da loja, a mulher passou cerca de 30 minutos na porta do estabelecimento, após não aceitar que o açaí seria feito com banana.

“Ela me viu colocando a banana no açaí para bater e falou que não queria com banana. Eu expliquei que a nossa receita é fechada já, que é o açaí, banana e xarope”, contou. “Ela não quis aceitar, não queria que eu batesse com banana, porque ela estava exigindo. Eu falei: ‘Moça, não tem como, minha receita é essa’. Aí ela falou: ‘Então vamos resolver na delegacia’. Pensei que ela iria chamar o Procon, algo assim, mas ela começou a me xingar, atacar: ‘Macaco, preto’”, completou.

Paulo Vitor diz que nunca havia passado por uma situação como essa. De acordo com ele, a mulher “tem o histórico de ser alguém que causa muitos problemas” no comércio onde fica sua loja.

“Depois, ainda chegou uma cliente nossa e perguntou o que estava acontecendo. Aí, ela começou a agredir verbalmente essa moça e continuou: ‘Macaco, preto, alienígena’. Isso começou umas 20h e ela ficou lá até 20h30 xingando”, relatou.

Veja o vídeo:

Com informações do Metrópoles

Postagens relacionadas

“70% vão pegar, não tem como,” diz Bolsonaro sobre coronavírus

Gilberto Silva

Escolas públicas sofrem com baixa qualidade do ensino de inglês

Gilberto Silva

O Brasil está dividido e deve se unir após eleição, diz Temer

Gilberto Silva

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia Mais

Política de Privacidade e Cookies