Hospital deve avaliar desnutrição e ‘doença da caverna’ de meninos libertados na Tailândia

Após 15 dias presos em uma caverna na Tailândia, os meninos e o treinador do time de futebol começaram a ser resgatados neste domingo (8). Quatro garotos foram levados ao hospital mais próximo em segurança. Os outros ainda esperam a próxima fase de resgate, após o recarregamento dos tubos de oxigênio e de uma forte chuva que atingiu a região.

Com pouco acesso a comida e água potável, privados da luz do sol e tendo respirado ar úmido durante dias, eles estão sendo atendidos por uma equipe médica de prontidão, com uma série de preocupações sobre o estado de saúde deles. Veja a seguir o que eles vão avaliar primeiro:

Desidratação

Apesar de os garotos não terem ficado totalmente sem água nesse período, porque ingeriram o líquido que escorria pelas paredes da caverna, a desidratação deve ser a primeira preocupação, assim como a desnutrição, segundo a avaliação de Fernando Ganem, médico superintendente do pronto-atendimento do Hospital Sírio Libanês (SP). Segundo ele, os meninos deverão começar a ser hidratados com soro e eletrólitos (como sódio, potássio, glicose etc.) na veia.

AFP

Equipe de resgate trabalha para tirar o time de futebol de caverna alagada

Desnutrição

Os meninos passaram a ter acesso a suplementos alimentares quando foram encontrados, nove dias depois de ficarem presos. Por serem crianças e adolescentes, a atenção à alimentação é ainda mais importante do que no caso de adultos. “Eles estão em fase de crescimento, o que demanda um gasto calórico maior”, explica Rodrigo Sardenberg, cirurgião torácico da América Serviços Médicos, área de hospitais da operadora Amil.

Com a saída da caverna, o cuidado para reverter a desnutrição deve ser intenso, primeiro com a ingestão de alimentos leves, pouco gordurosos, com proteína e carboidrato. Como a falta de comida faz com que o organismo se prepare para viver com menos, a dieta deve começar com a ingestão de porções pequenas. Aos poucos, vai progredir até ser normalizada.

Com esses cuidados iniciais, diz Ganem, em 72 horas os meninos já deverão apresentar um estado de saúde mais equilibrado e, em uma semana, deverão sair da situação de risco.

Hipotermia

Existe também a possibilidade e os garotos estarem com a temperatura corporal baixa, a chamada hipotermia. Essa condição faz com que o metabolismo funcione devagar, diminuindo o fluxo de sangue e de nutrientes para os órgãos e deixando a pessoa mais suscetível a infecções. A hipotermia pode fazer com que vários órgãos parem de funcionar ao mesmo tempo.

A providência, nesse caso, é aquecer o corpo dos meninos com cobertores. Em casos mais graves, de acordo com Ganem, os médicos tentam transferir calor para o paciente com líquidos com temperatura próxima à ideal.

‘Doença da caverna’

Como os meninos e o treinador passaram muitos dias inalando ar úmido, médicos devem examiná-los para descobrir se apresentam problemas respiratórios. O tipo de ambiente encontrado em cavernas é propício à contaminação do ar por fungos que, inalados, provocam doenças.

Uma das mais comuns é a histoplasmose, conhecida justamente como doença da caverna, que acontece em regiões onde há morcegos. A histoplasmose, segundo os médicos, causa pneumonia fúngica e pode levar à insuficiência respiratória.

O risco de terem contraído uma infecção respiratória é tão grande, diz Sardenberg, que eles provavelmente vão ser tratados com antibiótico preventivamente assim que saírem, sem esperar o resultado de exames. “Além da umidade, conta muito o contato próximo entre eles dentro da caverna. Se um fica doente, todos ficam”, afirma o médico.

Cortes na pele

Existe a possibilidade de terem contraído outras infecções, visto que a desnutrição e a desidratação baixam a imunidade do organismo, tornando fracas as defesas contra doenças. Por isso, os médicos devem tratar também qualquer corte ou arranhão, visto que a pele é a porta de entrada para muitas infecções.

Deficiência de vitamina D

Por fim, a escuridão do interior da caverna pode ter deixado os garotos e o treinador com deficiência de vitamina D. “A vitamina é absorvida pelo corpo quando a pele é exposta à luz do sol e ajuda na formação dos ossos”, explica Sardenberg. “Mas, na idade dos meninos, uma deficiência grave só acontece se houver privação da luz do sol por muito tempo.”

Saúde mental

Após o resgate, os médicos afirmam que tão importante quanto a saúde física dos meninos é a saúde mental. “Eles ficaram presos sem os pais, sem os amigos e sem saber se conseguiriam sair”, diz Sardenberg. “Certamente vão precisar de acompanhamento psicológico por bastante tempo.”

 

Comentários

Acesso em 23/09/2018 17:54.
Link: http://portalgilbertosilva.com.br/noticias/mundo/hospital-deve-avaliar-desnutricao-e-doenca-da-caverna-de-meninos-libertados-na-tailandia/.