Antes de morrer, garota órfã deixa carta para única pessoa que a visitava

“Tia Gabriella, eu estou com muita dor e já quero ir morar com o papai do céu, por isso pedi para a tia Marta escrever essa carta na agenda da Branca de Neve que você me deu (…)”.

Esse é um trecho de uma carta escrita por Júlia, 8. A menina órfã tinha leucemia e, antes de morrer na última quarta-feira (9), se despediu da voluntária Gabriella Pereira, 23, a única pessoa que a visitava em um hospital de São Paulo. Ela dedicou cinco folhas de papel cor-de-rosa da agenda para escrever a mensagem final.

Antes de adoecer, a menina morava em um abrigo para crianças em Carapicuíba. Foi lá onde ela e Gabriella se viram pela primeira vez. Desde então, a bancária conta que via a pequena pelo menos três vezes por semana.

 

“Ela era a melhor criança que alguém poderia conhecer, inocente e muito madura ao mesmo tempo. Carinhosa, tinha uma sede enorme de aprender tudo o que qualquer pessoa tivesse paciência para ensinar”, diz Gabriella.

De acordo com a voluntária, a criança era a única do abrigo a não receber visitas de familiares. Gabriella preparou documentação e entrou com pedido para adotá-la.

“Sou muito nova e não sou casada, já tinha a consciência que não conseguiria. Mesmo assim tentei e tive apoio da minha família”, explica.

“O que ela mais queria era ter uma mãe. Pena que não deu tempo”, lamenta a voluntária que chegou a cortar os cabelos para que Júlia pudesse ter uma peruca, já que ficou careca durante o tratamento.

Repercussão

A bancária diz que soube da morte da criança por meio da ligação de uma enfermeira. Abalada, não conseguiu ler a carta. Foi a irmã dela que narrou o texto de Júlia.

“Chorei muito. Porém, seria egoísmo se eu reclamasse. Pedi a Deus para que a levasse e, assim, o sofrimento dela pudesse acabar”, relata.

A carta foi publicada um dia após a morte de Júlia em uma rede social. A postagem já tem mais de 43 mil curtidas e 22 compartilhamentos.

Em um trecho do texto, a menina agradeceu Gabriella pelos presentes, pela companhia e por ser a melhor amiga dela. Também pediu que a jovem não ficasse triste com a partida, pois estava muito doente e com dor.

A bancária também fez um apelo nas redes sociais pedindo que os pais não abandonem os filhos.

“Vocês não fazem ideia do que é uma criança crescer sem ter um apoio fixo. Não tem quem ensinar a escrever, não tem quem ensinar a segurar o garfo nas refeições, não tem quem fazer um penteado no cabelo e nem passar o batom que ela tanto gostava. Mas enfim, agora a Júlia é uma estrela e uma das mais lindas e guerreiras que pode existir.”

Leia a carta de Júlia na íntegra.

“Quero pedir obrigado por me conhecer por vir me ver e por me dar o video game que te pedi, eu sabia que era muito caro e para comprar o video game precisa vender uma casa, mesmo assim você me deu. Obrigada pela sandália de salto que me deu e por trazer aquele lanche que eu sempre vi na TV. Obrigada por vir me ver no meu aniversário e trazer o sorvete de morango.

Você é a minha melhor amiga e eu queria que você fosse a minha mãe, pedi para o papai do céu me fazer sarar, porque ai você ia arrumar os documentos e me adotar. Você disse que ia ser difícil, mas eu ia pedir para o juiz deixar você ser a minha mãe, e ele ia deixar, porque você já é grande e até dirige um carro.

Quando eu crescer quero ser bonita igual você! Também quero dizer na sua carta que eu amei que colocou bexigas no meu aniversário e levou até brigadeiro.

Tia Gabi eu te amo e estou pintando as bolinhas do calendário igual você disse e só falta duas fileiras para o dia do seu aniversário, mas estou muito doente e com dor. Por isso, se eu for morar com o papai do céu, não fica triste, porque eu te amo e só você é a minha melhor amiga.

Júlia”

Jéssica Nascimento

Colaboração para o UOL

Comentários

Acesso em 18/02/2019 21:16.
Link: http://portalgilbertosilva.com.br/noticias/tocantins/antes-de-morrer-garota-orfa-deixa-carta-para-unica-pessoa-que-a-visitava/.