Araguaína – Acusado de ajudar na morte do militar Dionedith é condenado a 19 anos de prisão

 –

Matuzalem  Sousa Silva, um dos acusados de participar do assassinato do policial militar Dionedith de Oliveira Macedo, em Araguaína, foi condenado a 19 anos de prisão em regime fechado. O crime foi em 28 de abril de 2013. Na época, a vítima estava com 36 anos e atuava no Comando de Operações Especiais. Silva foi condenado por júri popular, mas ainda cabe recurso.

Matuzalém nega envolvimento no crime, mas a investigação apontou que ele entregou a arma para o comparsa Adriano Oliveira efetuar os disparos contra o militar. O homicídio aconteceu em frente a uma loja de conveniência. No local houve uma troca de tiros que resultou na morte de outras duas pessoas.

Outros dois acusados do homicídio foram julgados. Denis Silva França foi condenado a 19 anos, nove meses e 18 dias de prisão em regime fechado. O julgamento foi realizado em julho do ano passado. Ele não compareceu e era considerado foragido, mas foi assassinado em setembro de 2017, durante uma troca de tiros, em Goiás.

Segundo o Ministério Público Estadual, ele monitorou os passos da vítima e informou aos comparsas o momento em que o policial estaria no local combinado para ser morto.

O outro acusado do crime é Adriano da Hora Oliveira. Ele foi julgado no dia 17 de junho de 2016 e condenado há mais de 20 anos de prisão. A pena está sendo cumprida no presídio Barra da Grota. O MPE disse que foi ele quem atirou contra o militar.

G1 TO

Comentários

Acesso em 20/05/2018 10:50.
Link: http://portalgilbertosilva.com.br/noticias/tocantins/araguaina-acusado-de-ajudar-na-morte-do-militar-dionedith-e-condenado-19-anos-de-prisao/.