Com o encerramento das investigações, desembargadora decide soltar o repórter Elder Silva

Na noite desta terça-feira (20), o Tribunal de Justiça aceitou o pedido de liberdade feito pela defesa do repórter Elder Silva. Ele está preso há 40 dias suspeito de avisar um primo sobre uma operação policial de combate ao tráfico de drogas em Araguaína, norte do Tocantins.

O suspeito está preso no batalhão da Polícia Militar da cidade, já que possui curso superior. Agora, a defesa dele aguarda a ordem de soltura, que deve sair na manhã desta quarta-feira (21).

Elder Silva foi preso em flagrante depois que a Polícia Civil encontrou áudios do repórter no celular do primo dele, avisando que uma equipe de policiais estava indo prendê-lo. Na época, um juiz da cidade transformou a prisão em preventiva porque o jornalista supostamente poderia atrapalhar as investigações.

Porém, segundo a desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe, o repórter não tem mais como atrapalhar o andamento do caso. “O correspondente inquérito policial foi encerrado recentemente com a publicação do relatório em 02.03.2018. Presumindo-se, pois, o encerramento das investigações em relação ao crime sob ótica”, argumentou na decisão.

A desembargadora determinou que o jornalista terá que comparecer aos atos processuais e manter o endereço atualizado. Além disso, está proibido de ter acesso a delegacias de polícia, seja para fazer a cobertura de prisões ou coletar material para matéria jornalística.

Entenda

O repórter foi preso na última sexta-feira (9). A Polícia Civil informou que encontrou áudios do repórter no celular do primo dele, Edinei Lopes da Silva, avisando que uma equipe de policiais estava indo prendê-lo.

Elder foi até a delegacia da cidade alegando que queria informações sobre duas prisões que aconteceram pela manhã para uma reportagem. Enquanto estava no prédio, o repórter ficou sabendo da operação que tinha como alvo o primo. Após os investigadores saírem, ele teria enviado um áudio para o primo avisando sobre o caso.

Na casa de Edinei foram encontradas drogas, armas e equipamento para monitorar a movimentação na rua. O áudio de Elder chegou ao celular do primo enquanto a polícia revistava a casa. Após o flagrante, os policiais foram até a casa do repórter e o prenderam também.

O trabalho mais recente de Elder Silva foi na TV Band de Araguaína, mas ele já não prestava serviços para a emissora.

Fonte: G1/TO

Comentários

Acesso em 21/07/2018 20:27.
Link: http://portalgilbertosilva.com.br/noticias/tocantins/com-o-encerramento-das-investigacoes-desembargadora-decide-soltar-o-reporter-elder-silva/.