GS NOTÍCIAS – Portal Gilberto Silva
Tocantins

Governo fará campanha para jovens sobre reforma da Previdência

 

O Palácio do Planalto prepara uma nova campanha publicitária, desta vez focada nos jovens, para tentar angariar apoio na opinião pública para a reforma da Previdência, alvo de críticas inclusive na base aliada ao governo no Congresso.
A equipe de Michel Temer, segundo apurou a reportagem, diagnosticou que os jovens formam o segmento mais influenciado pelas críticas que correm as redes sociais contra mudanças na aposentadoria e diz que é preciso apresentar os números de forma didática, com o foco no “fim dos privilégios”.
Para assessores do presidente, a campanha na internet é liderada por partidos de oposição, como o PT, e precisa ser combatida com argumentos que reverberem entre os mais novos.
As peças publicitárias, que deverão ir ao ar na semana que vem, tentarão passar a mensagem de que a reforma da Previdência não é uma reforma de governo, mas de Estado, com o fim dos privilégios dos políticos, dos funcionários públicos, além de encontrar um meio termo para categorias como policiais e professores.
A equipe responsável por elaborar a campanha, comandada pelo marqueteiro Elsinho Mouco, estava com o novo planejamento de mídia praticamente pronto, aguardando apenas uma decisão judicial para a liberação da propaganda.
Nesta quinta-feira (6), o STF (Supremo Tribunal Federal) autorizou a publicidade do governo sobre Previdência. A decisão atendeu a pedido da AGU (Advocacia-Geral da União), depois de uma liminar da 1ª Vara Federal de Porto Alegre e de uma decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que impediam a veiculação de propagandas sobre o tema.
Nesta sexta-feira (7), o governo ainda divulgará as peças que já foram veiculadas, abrindo espaço para a nova campanha na semana que vem.
CONGRESSO
A equipe de Temer está bastante preocupada com o andamento da reforma da Previdência no Congresso. Principal bandeira econômica do governo, as mudanças na aposentadoria são consideradas, pela maior parte dos parlamentares, impopulares, e têm sofrido críticas duras de deputados e senadores da base, as mais diretas feitas publicamente pelo líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).
A equipe econômica chegou a dizer que se preocupava com o fato de o fim do sigilo das delações da Odebrecht, marcado para depois da Páscoa, prejudicar o andamento na reforma, visto que deputados e senadores só iriam se preocupar em votar coisas para “salvarem a própria pele”.
Entre parlamentares, porém, o argumento é de que a preocupação eleitoral vem antes da preocupação com a aprovação da reforma “desde sempre” e não apenas após o fim do sigilo.

Fonte: FolhaPress

Postagens relacionadas

Em Araguaína, homem é indiciado pela polícia civil por roubo praticado contra a própria mãe

Gilberto Silva

Tocantins – Adolescente de 14 anos é assassinado a tiros na porta de casa

Gilberto Silva

Até as 22hs, caminhões estão proibidos de trafegar pelas rodovias federais de pista simples no Tocantins.

Gilberto Silva

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia Mais

Política de Privacidade e Cookies