Mulheres que seriam funcionárias fantasmas diz nunca ter prestado serviço na pasta

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Estadual de Investigações Criminais – DEIC, região Norte, em Araguaína, deflagrou na manhã desta quinta-feira, 14, mais uma fase da Operação Catarse, que visa a investigação de crimes de peculato contra a Administração Pública estadual, por ex-servidores contratados temporariamente, mas que não exerciam regularmente suas funções (“funcionários fantasmas”). Nesta fase, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão, como também ouvidos depoimentos de quatro investigados.

De acordo com o delegado José Anchieta de Menezes, esta é a terceira fase da operação realizada em Araguaína. “Os suspeitos haviam sido nomeados na gestão do ex-governador Marcelo Miranda, mantiveram os cargos na gestão posterior e exonerados no último dia 31 de dezembro de 2018”, afirmou. O delegado disse ainda que durante o depoimento, os suspeitos, lotados na então Secretaria Geral de Governo, afirmaram nunca ter prestado serviço na pasta. “Apreendemos aparelhos celulares, documentos e computadores que serão periciados e analisados”, afirmou. Ainda de acordo com o delegado, os quatro ex-servidores recebiam salários que variavam entre R$ 1,5 mil e R$ 2,5 mil.

SSP TO

Comentários

Acesso em 25/05/2019 15:09.
Link: http://portalgilbertosilva.com.br/noticias/tocantins/mulheres-que-seriam-funcionarias-fantasmas-diz-nunca-ter-prestado-servico-na-pasta/.