Tocantins – Aplicativo que estimula doações de sangue já está disponível para download

Foi lançado nesta quarta-feira, 14, data em que se comemora o Dia Mundial do Doador de Sangue, o Hemoto Mobile, aplicativo que vai facilitar a comunicação entre as unidades do Hemocentro e a população tocantinense.

“Percebemos a necessidade de uma ferramenta para ampliarmos a comunicação com os doadores. Por isso, reunimos toda equipe do Hemocentro e surgiram algumas ideias, a partir daí, a equipe de Tecnologia da Informação começou a desenvolver o aplicativo”, informou a diretora da Hemorrede no Tocantins, Poliana Gomes Pimenta.

O secretário de estado da saúde, Marcos Musafir, reiterou que o aplicativo veio somar às ações já desenvolvidas no Junho Vermelho, objetivando aumentar o número de doadores. “É um estímulo para que a população se aproxime do Hemocentro e venha doar mais sangue. O Junho Vermelho visa promover e divulgar a importância da doação de sangue, não só para quem está doando, mas especialmente para quem receberá, que pode ser qualquer um de nós, em qualquer momento da vida. Doar sangue é um ato de solidariedade e cidadania”, disse.

O aplicativo tem dois tipos de perfil. O perfil visitante, para aquele que nunca doou sangue, mas tem interesse em saber informações sobre como funciona o processo de doação. E o perfil doador para aquele que já doou pelo menos uma vez na rede de hemocentros do Estado e informou seu e-mail no ato do cadastro. “Nesse perfil o doador terá acesso a várias informações como a data da última doação, data da próxima doação, tipo sanguíneo e quantidade de doações no último ano. O aplicativo já está disponível para download e nesse primeiro momento poderá ser baixado pelo Play Store apenas para o Sistema Operacional Android”, explicou o gerente de Tecnologia da Informação do Hemocentro de Palmas, Luciano Alencar.

O gerente informou ainda que em ambos os perfis o usuário receberá notificações sobre campanhas realizadas pela Hemorrede, avisos, e vai poder visualizar localizações dos postos de coleta no Google Maps, requisitos para doação e as compatibilidades entre os tipos sanguíneos.

Gratidão de pacientes

Geslaine Alves da Costa sabe muito bem a importância da doação de sangue. Seus dois filhos tem anemia falciforme, doença crônica em que os glóbulos vermelhos assumem o formato de foice e morrem prematuramente, causando dentre outras coisas, obstrução do fluxo sanguíneo e crises intensas de dor.

Juntos, os dois filhos de Geslaine, um de 5 anos e outro de 1 ano e 3 meses, já passaram por 22 transfusões. “Descobrimos a doença e soubemos que em alguns casos eles teriam que tomar sangue para sobreviver. O mais novo, por exemplo, faz transfusão desde os dois meses de vida. Quando percebo os sinais, já corro para o hospital. Meus filhos precisam regularmente de sangue, por isso incentivo todos os amigos e familiares a doar. Sou eternamente grata por esse ato que salva a vida dos meus filhos”, disse emocionada.

Deusvaldina Barroso, técnica de enfermagem, também tem um filho falcêmico. Atualmente o rapaz está com 19 anos, mas recebe o sangue desde pequeno. No caso dele, é o sangue fenotipado, ou seja, recebe o sangue especificamente de uma pessoa que possui as mesmas características do sangue dele. “Sou grata por cada um dos doadores, em especial a pessoa que doa para meu filho. Não conheço essa pessoa, sei que é uma mulher, ela já salvou por algumas vezes a vida de meu filho e só tenho a agradecer a todos. A Qualquer momento todos podemos precisar de sangue, mas no caso do meu filho, é recorrente, e por isso posso dizer e agradecer profundamente o ato de doar sangue”, afirmou.

ATN TO

Comentários