Tocantins – Vítima viu o próprio celular sendo vendido na internet poucas horas depois do crime – Uma menor foi apreendida e a mãe presa

Uma adolescente de 17 anos foi apreendida suspeita de vender celulares roubados nas redes sociais. A polícia informou que ela fazia parte de pelo menos 30 grupos de troca e venda de produtos. Na casa dela, policiais encontraram drogas e vários telefones que tinham sido roubados. A polícia chegou até a menor depois que uma das vítimas viu o próprio celular sendo vendido na internet, poucas horas depois do crime, quando os suspeitos do assalto estavam presos na delegacia. No anúncio, a vendedora pedia R$ 350 no aparelho.

“Vi meu telefone à venda. O anúncio publicado após duas horas, três horas do furto. Notei que era o meu celular por causa de uns detalhes. Um quebradinho que tinha do lado”. A mulher, que preferiu não se identificar, foi assaltada num ponto de ônibus. Ela registrou boletim de ocorrência na delegacia. Logo em seguida, os investigadores prenderam quatro pessoas suspeitas de envolvimento no crime.

O mais surpreendente é que em menos de três horas, enquanto os ladrões estavam presos na delegacia, o telefone da vítima já estava sendo comercializado na internet.Foi a própria vítima que descobriu. No anúncio, a vendedora pedia R$ 350 no aparelho. “Vi meu telefone à venda. O anúncio publicado após duas horas, três horas do furto. Notei que era o meu celular por causa de uns detalhes. Um quebradinho que tinha do lado”. A polícia rastreou a vendedora, identificou que ela tem 17 anos, participa de 30 grupos de troca e vendas na internet. Os agentes simularam a compra do aparelho e armaram o flagrante. A menor foi apreendida no momento em que venderia o celular.

Na casa dela, a polícia encontrou e fechou uma central de celulares roubados com vários aparelhos. Também foram apreendidas maconha e cocaína. Segundo a polícia, os assaltantes trocavam os telefones roubados pelas drogas. A adolescente foi apreendida e a mãe presa. Segundo o delegado Evaldo Gomes, quem compra nesse tipo de página da internet, sem nota fiscal, contribui para o aumento desses crimes. Este ano, mais de 100 celulares roubados foram recuperados na capital.

“Nós temos exemplos de pessoas que se especializaram na aquisição e compra desses produtos via redes sociais. A dica é sempre desconfie e depois peça a nota fiscal e cheque os dados que constam na nota fiscal daquela pessoa. Isso já diminui as possibilidades de se demonstrar uma aquisição de má fé.

Enquanto o celular já estava sendo vendido pela internet, a polícia conseguiu chegar até os ladrões.

A polícia rastreou a vendedora, combinou a compra do aparelho e fez o flagrante. A menor foi apreendida no momento em que venderia o celular. A polícia descobriu também que um grupo roubava os aparelhos e entregavam para a adolescente em troca de drogas. Na casa dela, foram apreendidas cocaína e maconha.

Segundo o delegado Evaldo Gomes, quem compra nesse tipo de página da internet, sem nota fiscal, contribui para o aumento desses crimes. Este ano, mais de 100 celulares roubados foram recuperados na capital.

G1 TO

Comentários

Acesso em 19/12/2018 01:30.
Link: http://portalgilbertosilva.com.br/noticias/tocantins/tocantins-vitima-viu-o-proprio-celular-sendo-vendido-na-internet-poucas-horas-depois-do-crime-uma-menor-foi-apreendida-e-a-mae-presa/.